BRASÍLIA TERÁ MARATONA CULTURAL SOBRE HIV NESTE FIM DE SEMANA

Uma maratona de eventos e atividades culturais no DF vai dar continuidade ao primeiro Dezembro Vermelho oficial no Brasil, cujo objetivo é atuar contra o vírus da aids e incluir socialmente pessoas com HIV. No sábado 16, no Creas Diversidade, na 615 Sul, será promovido o Dia da Diversidade Cultural de Luta contra HIV/aids.
Entre 9h e 19h, haverá 12 atrações, dentre peças de teatro, rodas de conversa, apresentação de drag queens e oficina de grafitti. Toda a programação é gratuita.
São destaques desse dia especial: oficina de direitos humanos ministrada pela ONU, e as peças teatrais O Alta da Camisola, que trata sobre como é viver com HIV, e A Morte do Milionário, da Cia Bisquetes, formada por jovens da Estrutural.
Além disso, haverá atendimentos jurídico por órgãos tais como Defensoria Pública e Delegacia contra Intolerância (Decrin), e testagem de HIV, sífilis e hepatites B e C. A realização é do Instituto Amizade DF-GO, da ONG Palco Comparsaria e da drag queen, produtora e ativista Baby Brasil.
Há apoio das secretarias de Cultura, SEDESTMIDH e Saúde do DF, UNAIDS e Conselho Regional de Psicologia local.
Serviço:
Dia da Diversidade Cultural de Luta contra HIV/aids
Dia: sábado 16 de dezembro
Local: Creas Diversidade (SGAS 615, L2 Sul)
Horário: 9h às 19h.
Entrada franca
Programação
Durante todo o dia haverá atendimento jurídico pela Defensoria Pública, orientação sobre direitos pela Decrin, prestação de serviços de saúde pelos alunos de enfermagem do ITEB e distribuição pela Diretoria da Diversidade da UnB de material educativo para prevenção de infecções sexualmente transmissíveis.
9h – Abertura.
9h30 – Oficina de grafitti – Grupo Transcrew.
10h – Oficina de Direitos Humanos com Creas Diversidade e Conselho Regional de Psicologia – DF.
11h – Oficina sobre Direitos Humanos das pessoas LGBTI com ONU (Campanha Livres & Iguais).
12h – Intervalo
13h30 – A Morte do Milionário. Apresentação teatral da Cia
Bisquetes. Coletivo trabalha com esquetes e musicais relacionados aos direitos humanos e à cidadania, abordando questões tais como direito à cidade, gênero, raça, educação de qualidade e juventude. Formado por atores e atrizes jovens da Estrutural.
14h – Palestras e Debate Interativo com Especialistas em HIV/AIDS.
15h – Oficina de Direitos Humanos “(Con)vivendo com HIV/AIDS: o nosso corpo daria um romance?”. Atividade é baseada na obra “Meu corpo daria um romance”, de Herbert Daniel (1983), um dos primeiros homossexuais a escrever sobre o HIV/AIDS no Brasil.
16h – O Alto da Camisola. Apresentação teatral da Cia Teatro Mapati. O espetáculo é texto que mistura peça teatral e folheto de cordel. Trata-se de história de amor entre duas caricaturas de famílias inimigas naturais. E há um dado complicador: o personagem Benedito vive com o vírus HIV.
16h40 – Aulão de Zumba pela vida. Professor Eduardo Lima.
17h – Batalha de MCs e Apresentação do DJ Roberto Costa.
18h – Apresentação de drags queens.
19h – Encerramento

FESTIVAL CRIA PROMOVE DOIS DIAS DE MUITA ARTE PARA CONSCIENTIZAR O DF E ENTORNO SOBRE OS DIREITOS DAS CRIANÇAS QUE VIVEM EM ABRIGOS

A iniciativa batizada de Festival Cria Arte e Cultura Pelos Direitos da Criança surge com o objetivo de mobilizar e conscientizar a população do Distrito Federal e entorno sobre os direitos das crianças que vivem em abrigos sem perspectivas de adoção. O Cria vai movimentar a Funarte no próximo sábado e domingo, dias 16 e 17 de dezembro. A entrada é franca.
O evento reunirá grupos de teatro, música e dança da cidade das 14h às 20h nos dois dias de atividades.
Todos os grupos farão os espetáculos para a comunidade gratuitamente. A ação tem como objetivo conscientizar a todos sobre processos de adoção e aceitação do menor de idade visando um olhar de todos para a situação onde existe violação dos direitos dessas crianças “DIREITO A TER UMA FAMILIA”. Os dois dias de atividades contarão com palestras ministradas pela equipe do grupo Aconchego com intuito de uma melhor conscientizado do público.
As crianças terão seu espaço garantido nos dois dias, com vários espetáculos infantis sempre no período da tarde
O bailarino  Wesley Messias e a Tribo cia de Dança assinam a direção do evento.

SERVIÇO
Festival Cria Arte e Cultura Pelos Direitos da Criança
Área externa da Funarte (Eixo monumental).
Sábado (16/12) e domingo (17/12), a partir das 14h.
Entrada franca
Classificação indicativa livre

PROGRAMAÇÃO

Sábado 16 de dezembro

14h30 – Palestra equipe Aconchego
Tema: Direito da criança à família

15h – Trupe trabalhe essa ideia
Espetáculo: O Mágico de Oz

16h30 – Historias com Joaninha

18h – Palhaço Presuntinho

18h30 – Palestra equipe Aconchego
Tema: Adoção no Brasil

19h30 – Variedades
Com as participações:
E agora cia de improviso
Azzo Dança
Woman Stund up show
Tribo base
Duo Juliana Castro Cia de Dança
Stund up – Os Fantásticos
Tribo Cia de Dança
Juliana Castro Cia de Dança
Cia Nibiru
Duo Cia de Dança

Domingo 17 de dezembro

14 – Palestra Equipe Aconchego

15h Elizabete Tudo Pode – Infantil

15h20 – Trupe Trabalhe essa idéia
Espetáculo Peter pan

16h20 – João Veloso
Teatro de Bonecos – Infantil

17h – Palestra equipe Aconchego

18h – E agora? Cia de Improviso

18h40 – Foco Cia de Dança

19h30 – Variedades
Com as participações
Jana Marques Cia de Dança
Duo Cia de Dança
Juliana Castro Cia de Dança – Grupo Tribo Cia de Dança
Cia Nigiru
Tribo Base
Juliana Castro Cia de Dança – Duo Geórgia W. Alô
Projeto I´ll Be There – Tributo a Michael
Tribo Cia de Dança e Lucas Michael

STONIA ICE DARÁ GELATO GRÁTIS PARA DOADORES DE SANGUE

A gelateria Stonia Ice Creamland entrou na campanha para ajudar os bancos de sangue do DF.

A partir do dia 25 de novembro, quem doar sangue e passar em uma das unidades da loja com o comprovante, terá direito a um gelato classic (1 bola) de qualquer sabor.

A ação faz parte dos esforços pelo ‘Dia Nacional do Doador de Sangue’, comemorado no dia 25 de novembro, para manter os bancos de sangue com estoque no final do ano, época de maior defasagem.

A campanha seguirá até o final do ano (31 de dezembro). Mas atenção, o doador só poderá pegar seu brinde no mesmo dia em que fez a boa ação, mediante comprovante.

Serviço:
Stonia Ice Creamland
Águas Claras
Endereço: Avenida Araucárias, lote 1525 – Shopping Metropole, ao lado do Burger King
Horário de funcionamento: de segunda a quinta, de 12h as 22h; sexta a domingo, de 12h as 23h.
Asa Sul
Endereço: 405 sul, bloco B, loja 22
Horário de funcionamento: de segunda a quinta, de 12h as 22h; sexta a domingo, de 12h as 23h.
Informações: (61) 3244-8772
Facebook: https://.facebook.com/StoniaIce/
Instagram: @stoniaice

CONEXÕES URBANAS CELEBRA O MÊS DA CONSCIÊNCIA NEGRA

No mês da Consciência Negra, Brasília ganha um novo projeto para discutir os processos criativos de mulheres negras na arte urbana brasileira.

Nos dias 23 e 24 de novembro, grandes representantes femininas da cultura urbana e do hip hop do DF e do Brasil se reúnem no Espaço Cultural Canteiro Central e na Arena Conexões do Estádio Nacional para a realização do projeto Conexões Urbanas: Impressões Femininas na Cultura de Rua.

Com entrada franca mediante doação de livros, brinquedos e alimentos não perecíveis, o projeto apresenta duas oficinas sob os temas de empoderamento feminino com Vera Veronika e técnicas de DJ para mulheres com as DJs Donna e Simmone Lasdenas; um aulão de dancehall com Carolina Mercado; e uma noite de discotecagens, graffite ao vivo e shows que reúnem importantes DJs, MCs, b-girls e grafiteiras representantes do cenário de arte urbana feminino no Brasil.

Enquanto as oficinas ganham o Espaço Cultural Canteiro Central no dia 23; os shows acontecem no Estádio Nacional, dia 24.

Por lá, a grande atração da noite é o projeto paulistano Rimas & Melodias, que reúne os novos nomes femininos da cultura rap nacional: Tássia Reis, Drik Barbosa, Tatiana Bispo, Karol de Souza, Stefanie, Alt Niss e DJ Mayra Maldjian.

O show tem base no disco homônimo, que marca a estreia deste coletivo brasileiro de rap e R&B, celebrando as origens de cada uma das artistas, desde ancestralidade e espiritualidade até memórias de infância e referências musicais herdadas da família.

Além do Rimas e Melodias, se apresentam as DJs Donna (DF), Janna (DF), Simmone Lasdenas (SP) e K-Mina (SP). O projeto conta, ainda, com grafitte ao vivo apresentado pela artista urbana Siren (DF), e o desfile da marca brasiliense Nega do Pixain.

Dia 23/11

Oficina de Discotecagem para Mulheres, com as DJs Donna e Simmone Lasdenas
Oficina de Discotecagem voltada exclusivamente para o público feminino, sob o comando de DJs mulheres da maior importância para a cultura urbana em Brasília e São Paulo.
DJs Donna e Simmone Lasdenas
Local: Espaço Cultural Canteiro Central
Horário: Turma I – 9h às 13h; Turma II – 14h às 18h
20 vagas
*5 vagas exclusivas para pessoas com deficiência
Inscrições: conexoesurbanasfemininas@gmail.com

Oficina de Empoderamento feminino: Mulheres Donas de Si, com Vera Verônika
Uma oficina que visa trazer novas abordagens à auto estima e ao reconhecimento pessoal por parte de mulheres negras, sob a batuta de Vera Veronika, primeira rapper mulher do DF, pioneira em causas de grande importância no debate do feminismo negro.
Local: Espaço Cultural Canteiro Central
Horário: 19h às 21h
40 vagas
Inscrições: conexoesurbanasfemininas@gmail.com

Dia 24/11

Aulão de Dancehall com Carolina Mercado
O Dancehall é uma dança urbana nascida na Jamaica. Uma dança que celebra a vida, a liberdade, a autenticidade. O Aulão de Dancehall tem o objetivo de difundir a cultura afro-jamaicana em Brasília, e busca nas alunas a liberdade necessária para imprimir no movimento a sua personalidade e espontaneidade.
Local: Arena Conexões – Estádio Nacional
Horário: 20h
Vagas ilimitadas
Inscrições: conexoesurbanasfemininas@gmail.com

Apresentações Musicais
Local: Arena Conexões – Estádio Nacional
Horário: 20h às 04h
DJ Donna (DF)
DJ Janna (DF)
DJ Simmone Lasdenas (SP)
DJ K-Mina (SP)
Rimas & Melodias (SP) – Projeto formado por mulheres que compõem o novo cenário do rap nacional: Tássia Reis, Drik Barbosa, Tatiana Bispo, Karol de Souza, Stefanie, Alt Niss e DJ Mayra Maldjian
Grafitte ao vivo com Siren (DF)
Desfile Nega do Pixain (DF)

Serviço:
Conexões Urbanas: Impressões Femininas na Cultura de Rua
Dias 23 e 24/11 (sexta e sábado)
Locais: Espaço Cultural Canteiro Central (Oficinas) e a Arena Conexões – Museu Nacional (Shows)
Ingressos: Entrada Franca (mediante doação de livros, brinquedos e alimentos não perecíveis)
Inscrições nas oficinas através do e-mail conexoesurbanasfemininas@gmail.com

MUTIRÃO DE DOAÇÃO #MINHABRASILIA

O jornalista Daniéll Zukko promove, no dia 21 de outubro, a partir das 10h, o Mutirão de Doação #minhabrasilia. O ponto de encontro é no Hemocentro de Brasília (Via W 1 Sul) e a ideia é juntar a força e a boa vontade dos brasilienses, ou quem estiver por aqui, para ajudar quem precisa. “Brasília é uma cidade espetacular! Com gente espetacular! O meu objetivo é juntar 50 doadores nessa manhã. Para participar é só comparecer ao local, no horário marcado, claro que preenchendo os pré-requisitos da Fundação: para saber se você está apto ou não para doar sangue, basta entrar no site do Hemocentro (http://www.fhb.df.gov.br/). É preciso, mais do que nunca, criar o hábito da doação”, explica Daniéll. A VW Brasília, o estúdio móvel que é palco das entrevistas mais bacanas da web (#minhabsb), também estará por lá!

Mutirão de Doação #minhabrasilia
Data: 21 de outubro de 2017
Horário: 10h às 13h
Local: Fundação Hemocentro de Brasília – Via W1 Sul
Informações: (61) 3327-4413

ESPETÁCULO LIXO PAPÃO PERCORRE ESCOLAS DO DF

Com foco na conscientização da preservação ambiental, a Sustentare Saneamento, empresa responsável pela limpeza urbana de 19 Regiões Administrativas do Distrito Federal, criou o espetáculo Lixo Papão para conscientizar crianças sobre a importância de preservar o meio ambiente. A peça vai percorrer gratuitamente escolas públicas e privadas do DF e, nesta sexta-feira (1), será apresentada no Teatro Dulcina, às 10h, para 340 crianças da Escola Classe 314 Sul.
Desenvolvida para crianças de 5 a 12 anos de idade, a encenação vai abordar temas como reciclagem, acondicionamento correto do lixo, preservação dos recursos naturais, entre outros assuntos. O roteiro foi criado pelo Departamento de Recursos Humanos da Sustentare em conjunto com a Cia Teatral Ser Cênico, que apresentará a peça. A história personifica o lixo em um ser e mostra o poder de grande destruição do lixo. Um dos atores mais importantes será o gari Aércio Gomes de Barros, que salvará o Planeta Terra.
“O projeto Teatro nas escolas é um projeto de educação ambiental sobre os cuidados que devemos ter com o lixo. Será a maior campanha educativa já realizada por uma organização privada sobre o meio ambiente no DF”, afirma Williani Carvalho, idealizadora do projeto e coordenadora de Projetos e Desenvolvimento Humano da Sustentare Saneamento.
Segundo ela, a escola é e sempre será o ambiente propício para disseminar e expandir a consciência de uma maneira lúdica, feliz e inesquecível a todas as crianças e adolescentes. “Em todas as ações de responsabilidade socioambiental desenvolvidas pela empresa, percebemos que quando as crianças são educadas, elas educam os pais, familiares e amiguinhos. É mais fácil conscientizar a criança do que o adulto”, explica Williani Carvalho.

Patrocinado pela Sustentare Saneamento, o projeto Teatro nas Escolas Lixo Papão será realizado uma vez por semana, totalizando quatro espetáculos por mês com a duração máxima de uma hora e meia. As escolas interessadas nas apresentações devem se inscrever no Departamento de RH da Sustentare Saneamento, pelo telefone: 61 3224-2161.

 SERVIÇO:
O que: apresentação do espetáculo Lixo Papão
Onde: Teatro Dulcina
Quando: sexta-feira (1 de setembro), às 10h
Porque: ação de responsabilidade social desenvolvida e patrocinada pela Sustentare Saneamento para conscientizar crianças sobre a importância de preservar o meio ambiente
Inscrição: as escolas públicas e privadas interessadas nas apresentações devem se inscrever no Departamento de RH da Sustentare Saneamento pelo telefone: 61 3224-2161.
Ingresso: gratuito
Classificação: crianças de 5 a 12 anos de idade

8ª EDIÇÃO DO FESTIVAL “ASSIM VIVEMOS” CHEGA AO CCBB BRASÍLIA COM 32 FILMES

Começa na terça-feira (05) a 8º edição do “Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência” no CCBB Brasília. E ficará até o dia 17 de setembro. Além da exibição audiovisual, serão realizados quatro debates com os seguintes temas: A visão e os sentidos da arte; Corpo e movimento; Tecnologia assistiva de ponta e Amor e relacionamento.
Com entrada gratuita, terão apresentações inéditas. Os documentários trazem histórias protagonizadas por pessoas com diversas deficiências como síndrome de Down, autismo, paralisia cerebral, atrofia muscular espinhal, deficiência física, visual, auditiva e intelectual. Além de produções brasileiras, foram selecionados trabalhos de outros 18 países.Entre as produções destacam-se “Eu sou Jeeja”, sobre a indiana Jeeja Ghosh, líder ativista pelos direitos dos que têm paralisia cerebral na Índia;
A lista dos filmes completa está disponível no site: http://www.assimvivemos.com.br/2017/pt/programacao-brasilia/
Ao todo serão exibidas 32 películas de 19 países com abordagens e estéticas variadas; curtas, médias e longas-metragens; nas categorias ficção e documentário. Entre os títulos selecionados, estão duas produções do Brasil, além de outras de dezoito países: Alemanha, Austrália, Bulgária, Canadá, Estados Unidos, Espanha, Finlândia, Índia, Itália, Letônia, Myanmar, Polônia, Reino Unido, Rússia, Suíça, Tailândia, Turquia e Ucrânia.
O Assim Vivemos – Festival internacional de filmes sobre deficiência chega a Brasília depois de passar pelo CCBB do Rio de Janeiro (16 a 28/08), e terá sua sequência em São Paulo (20/09 a 01/10/2017). Pioneiro na utilização da audiodescrição e adequação aos conceitos de acessibilidade, o festival é exibido nas salas de cinema do CCBB das três cidades, onde os espaços são adaptados e preparados para receber todos os tipos de público, principalmente os cadeirantes graças às suas concepções arquitetônicas que facilitam o livre trânsito de pessoas com mobilidade reduzida. Além de ser o primeiro evento cinematográfico no Brasil a oferecer a audiodescrição em todas as sessões, o Assim Vivemos distribui ainda livretos de programação em braile , oferece legendas Closed Caption em seus filmes, assim como a interpretação em LIBRAS nos debates que realiza.
A partir de filmes de diferentes gêneros e estilos, a deficiência é apresentada em sua diversidade, evidenciando o que há de especial em cada ser humano e as mais variadas formas de superar limites. “E o mais incrível é a cada nova edição nos surpreendemos com uma impressão de que existe sim uma grande sintonia mundial no que tange a produção cinematográfica para esse público, pois recebemos levas de filmes sobre um mesmo tema, produzidos nos mais distantes lugares, mas sem que um saiba necessariamente da existência do outro”, destaca a diretora do festival, Lara Pozzobon, que completa: “O Assim Vivemos tem como premissa quebrar preconceitos e lutar pela inclusão social das pessoas com deficiência por meio da arte”.
Entre os filmes que compõem a programação deste ano, a diretora destaca a produção brasileira Luíza que aborda as dúvidas e preocupações dos familiares de uma moça com deficiência intelectual quando ela começa a namorar um rapaz que tem igualmente esse tipo de deficiência. Junto com a produção espanhola Amor aos 20, que também retrata as vivências amorosas de uma jovem de vinte anos com síndrome de Down, as películas servirão de tema para um dos dias do ciclo de debates que acontece durante o período do festival. Como se eu estivesse voando, filme americano altamente mobilizador, que interliga uma série de ideias e pesquisas recentes sobre as relações da dança com a saúde do corpo e da mente, será igualmente tema de um dos debates, experiência que Pozzobon considera como uma “rica troca de conhecimentos e impressões que o Assim Vivemos proporciona para o seu público
que vem, ano a ano, ficando cada vez maior e sensível à realidade das pessoas que vivem com algum tipo de deficiência”.

DEBATES
Além da exibição dos filmes, a programação do Assim Vivemos realiza quatro debates. No dia 07 de setembro (quinta-feira), acontece o primeiro deles com o tema A visão e os sentidos da arte. O segundo está previsto para o dia 12 (terça-feira), onde Corpo e Movimento estarão em voga. Já o terceiro bate-papo será no dia 13 (quarta-feira) com a temática da Tecnologia Assistiva de Ponta. O ciclo será fechado tendo Amor e Relacionamento como o tema central do dia 14 de setembro (quinta-feira).

HISTÓRICO
O Assim Vivemos teve sua primeira edição em 2003 no Rio de Janeiro e em Brasília. Na segunda edição do evento, em 2005, o público triplicou nas duas cidades e incluiu novidades no formato original, aumentando de uma para duas semanas de duração. Em 2007, o projeto ampliou ainda mais o alcance do público, com aluguel de ônibus e agendamento de visita de grupos das periferias das cidades e de instituições carentes de pessoas com deficiência. Nessa edição, foi realizado lançamento do DVD dos Curtas Premiados do Público (com o co-patrocínio da Petrobras), ação que teve grande impacto na multiplicação e democratização do conteúdo do festival.

Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre a Deficiência
Mostra competitiva de 32 filmes nacionais e internacionais que têm como tema a inclusão social das pessoas com deficiência.
Data: de 05 a 17 de setembro
Entrada franca, mediante a retirada de ingressos com uma hora de antecedência de cada sessão.
Classificação: Livre
Informações: 3108-7600

VIRADA DO CERRADO 2017

A programação da Virada do Cerrado 2017 que acontece entre 1º e 3 de setembro, tem a água como tema central, e traz ações socioambientais, educativas, esportivas e culturais, integrando todo o Distrito Federal em um grande movimento pela sustentabilidade.

A mesa de abertura oficial do evento será no gramado do Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, às 19h.

Entre as atividades que abrem a edição estão shows com artistas locais, como Dillo e Pé de Cerrado. No local acontecerá a tradicional feira com produtos de artesãos de Olhos D’Água-GO e um encontro de telescópios para observação do céu.

No domingo, 3 de setembro, o evento será aberto no Parque da Cidade com a corrida de rua “Cuidando das águas”, às 7h, no Estacionamento 10.

O local também será palco de atividades durante todo o dia, com rodas de conversa e tendas temáticas com personalidades ligadas ao meio ambiente, como a atriz Cassia Kiss e a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.

Logo após, às 17h30, o Parque receberá a apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, com shows de Hamilton de Holanda e Ellen Oléria. Também haverá apresentação do tradicional Samba do Banquinho.

A ideia é colocar o público em contato direto com os parques, vegetação e fazer com que todos possam sentir e se engajar no tema da sustentabilidade.

Nas Trilhas Ecológicas, temas como reflorestamento e preservação da água serão abordados e estimulados no público.

Para as crianças, oficinas de semente, horta, entre outras são ótimas oportunidades de contato com a terra.

Além disso, apresentações de palhaços, contação de história e poesias fazem parte das atividades lúdicas e que cumprem o papel de conscientizar. Destaque para a programação do Jardim Botânico, que conta também com palestras sobre alimentação saudável, ansiedade infantil, entre outros temas.

Corrida Cuidando das Águas

A Corrida Cuidando das Águas acontecerá no dia 3 de setembro, com a participação de cerca de 1.000 pessoas, nas distâncias de 5 e 10 km. O circuito é realizado pela Secretaria do Meio Ambiente do DF em parceria com a Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer.

Prova de 5 Km
Largada no estacionamento 10 do Parque da Cidade, sentido horário, com retorno no km 2,5 voltando em direção ao local da largada, com conclusão da prova de 5 km no estacionamento 10.

Prova de 10 km
Largada no estacionamento 10 do Parque da Cidade, sentido horário, com retorno no km 5, retornando em direção ao local da largada, com conclusão da prova de 10 km no estacionamento 10.

Premiação
Pacotes com sementes do Cerrado a todos os participantes que completarem a prova e aos três primeiros colocados de cada categoria (Feminino e Masculino), mudas de espécies arbóreas do Cerrado.

Serviço:
Virada do Cerrado
De 1º a 3/09
Programação: www.tonavirada.org/programação

DENUNCIA DE PRECONCEITO EM LOJA DA BIO MUNDO EM BRASÍLIA

Funcionária trans da Bio Mundo do Gilberto Salomão denuncia assédio moral e discriminação continuada enquanto funcionária da empresa.
Segundo o presidente do Conselho de Direitos Humanos do DF, Michel Platini,  Nicole procurou ajuda na entidade para relatar que após ter sofrido várias agressões físicas e psicológicas por parte de colegas de trabalho, acionou a direção da empresa e teve como resposta, a demissão.
Após o episódio, o Conselho de Direitos Humanos do Distrito Federal no uso de suas atribuições legais convocou o proprietário da rede para prestar esclarecimentos e buscar uma mediação, e mesmo com a convocação, o proprietário da empresa não compareceu a referida reunião.
Além da demissão, a transsexual denuncia comportamento LGBTfobico de dirigente da empresa que tratava a Nicolle como “viadinho”. O Conselho de Direitos Humanos tentou uma composição, o que não foi de interesse da empresa. O CDPDDH dará continuidade na apuração do caso.

EXPOSIÇÃO ‘PELO DIREITO À INFÂNCIA’ TEM HAPPY HOUR COM DJs DA CIDADE

Nesta quarta-feira(12) alguns dos melhores DJs de Brasília se apresentam na ‘Galeria Mundo Vivo’ em ação beneficente para o ‘Coletivo da Cidade’,instituição que atua há 5 anos na cidade Estrutural com crianças e adolescentes que vivem em situação de miséria.

Após o sucesso da exposição “Pelo Direito à Infância”, realizada no Cine Brasília entre 19 de junho e 4 de julho, o Coletivo da Cidade e o Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), em parceria com o artista plástico Délcio Batalha, prorrogaram a mostra por mais 15 dias em novo local. Desta vez a parceria foi feita com a recém-inaugurada ‘Galeria Mundo Vivo e Gastronomia’, localizada na 413 norte.

A nova etapa da exposição também faz parte do projeto de financiamento coletivo para arrecadar fundos para o Coletivo da Cidade, instituição que atua há mais de cinco anos na Cidade Estrutural. As obras ficarão expostas na Galeria Mundo Vivo e Gastronomia de 12 a 20 de julho e podem ser adquiridas através do site http://www.benfeitoria.com/coletivodacidade.

Programação:

Happy Hour-das 19 às 00h

Mostra da Exposição “Pelo Direito à Infância”
Apresentação do projeto

Discotecagem:
Nankassa – Mundo Vivo
Chicco Aquino – Makossa/Mistura Fina
Mak
Edgar Banks – Megaton Dub
LM – Makossa
Bola – Batidão Sonoro

Sobre o Coletivo da Cidade

O Coletivo da Cidade é uma organização localizada na Cidade Estrutural (DF) que atua no atendimento de crianças e adolescentes no contraturno escolar, oferecendo alternativas artísticas e educativas como meio de transformação social. Atua também como importante espaço de convivência comunitária e capacitação profissional para os moradores da Estrutural, articulando-se em rede com outros grupos e instituições parceiras.

Sobre a Mostra

A mostra faz parte de um esforço para garantir que o Coletivo da Cidade continue promovendo o desenvolvimento integral de 200 crianças e adolescentes de 6 a 17 anos da Cidade Estrutural, abrangendo e articulando as diversas dimensões de suas vidas como indivíduos e cidadãos.
O artista e professor Délcio Batalha, sensibilizado com o trabalho do Coletivo da Cidade e do Inesc, disponibilizou 12 obras de sua autoria para auxiliar na captação de recursos para o projeto. As obras retratam o desafio da infância no cenário de profundas desigualdades sociais com sensibilidade e olhar comprometido com a causa dos direitos humanos de crianças e adolescentes.

Como doar para o Coletivo da Cidade?

Para captar o recurso necessário e dar continuidade as ações do Coletivo da Cidade, está sendo utilizado o sistema de financiamento coletivo (crowndfounding) por meio da plataforma Benfeitoria.
Estão sendo oferecidas metas para a captação de recursos e recompensas para os interessados em doar. A plataforma trabalha com o sistema Tudo ou Nada, ou seja, se as metas não forem atingidas, todo o dinheiro é devolvido aos doadores. Além das obras do artista, as crianças atendidas pelo Coletivo produziram suas próprias releituras, colocando seu olhar sob o contexto das pinturas e sob seu próprio contexto social. Essas releituras também farão parte das recompensas, em forma de cartões postais e pôsteres.

Por fim, duas recompensas também muito especiais: um livro infantil, contado a história do Coletivo da Cidade e do território onde habitam, com concepção do texto e desenho das crianças; e os jogos Nossa Cidade (I e II), sobre direito à cidade, orçamento público e proteção de crianças e adolescentes.
Conforme o projeto for atingindo suas metas, serão disponibilizadas outras recompensas surpresas.
Participe e ajude o Coletivo da Cidade e o Inesc a continuarem desenvolvendo esse projeto tão importante!

Para saber como doar, acesse:

http://www.benfeitoria.com/coletivodacidade

Serviço:
Exposição “Pelo direito à Infância” por Délcio Batalha
Local: Galeria Mundo Vivo – 413 norte
Visitação 12 a 20 de julho. De terça a domingo, das 17h às 00h.
Entrada franca.
Contatos: (61) 98616 4395
Classificação livre.